segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Confecção de um cordel coletivo sobre Santos Dumont e a história da aviação...

Escola Municipal Engenheiro Guilherme Diniz
4º Ano A Manhã
Prof.ª Regina

Santos Dumont e a história da aviação...



Santos Dumont era mineiro
Ele era um menino sonhador
Filho de pais fazendeiros
Tornou-se um grande inventor.
 
Casa onde nasceu Alberto Santos Dumont e atual Museu de Cabangu.
 
 
Ele era calmo e não gostava de briga
Tinha mania de  usar chapéu
Gostava de fazer e empinar pipa
Fazendo-a voar alto no céu.
 
Chalé "A Encantada", onde Santos Dumont morou, em Petrópolis, Rio de Janeiro

 
Dumont brincava com seus amigos,
E nas festas de São João
Ficava admirado
Em ver a beleza do balão.
 
Alberto Santos Dumont

Santos Dumont em 1898.

Santos Dumont em 1916.
 

Depois que Dumont cresceu
Sonhou em fazer um avião 
Viajou à Paris de navio
Chegando lá passeou de balão.

O dirigível número 1


Começou a construir vários balões
Passeou de dirigível
Contornou a torre Eiffel
Tornando seu sonho possível.

Santos Dumont contornando a Torre Eiffel com o dirigível número 5, em 13 de julho de 1901.


Dumont teve uma ideia brilhante
De tirar o relógio do bolso
E colocá-lo no pulso
Pois via às horas  a todo  instante.


"Santos" de Cartier, um dos primeiros modelos masculinos de relógio de pulso



 







 
Dumont cria sua obra de arte
Finalmente nasce o avião 14-bis
Ele decola, voa e pousa a aeronave
E torna-se um homem muito feliz.

 

O Santos-Dumont 14-bis sendo testado no campo de Bagatelle, em julho de 1906.

 











Ilustração do voo do Santos-Dumont 14-bis em 12 de novembro de 1906, que rendeu a Santos Dumont o Prêmio do Aeroclube da França.


Viva a Santos Dumont!
O nosso herói brasileiro!
Essa é nossa homenagem
A este ilustre mineiro
Que destacou o Brasil
Valorizando-o no mundo inteiro!
 

O voo do Oiseau de Proie III na capa do Le Petit Journal de 25 de novembro
Estátua em homenagem a Santos Dumont em Saint-Cloud, França.

_____________________________________________________


Obs.: 
         O 14-bis foi um avião híbrido construído pelo inventor
Santos Dumont em 1906.
         Era constituído por um aeroplano unido ao balão 14.  Daí
o nome 14-bis, isto é, o "14 de novo", devido ao fato de o balão
estar sendo reaproveitado. 

domingo, 28 de outubro de 2012

Povos da África


História da ÁfricaCultura africana, povos, história, Bérberes, Bantos, Império de Gana, civilizações antigas, economia, arte, religião, trabalho e sistemas de produção, alimentação, saúde, comércio
história da áfrica e cultura africana
Bérberes: os nômades do deserto

Nas escolas e nos livros, costumamos estudar apenas a história de um povo africano: os egípcios. Porém, na mesma época em que o povo egípcio desenvolvia sua civilização, outros povos africanos faziam sua história. Conheceremos abaixo alguns destes povos e suas principais características culturais.
O povo Bérbere
Os bérberes eram povos nômades do deserto do Saara. Este povo enfrentava as tempestades de areia e a falta de água, para atravessar com suas caravanas este território, fazendo comércio. Costumavam comercializar diversos produtos, tais como : objetos de ouro e cobre, sal, artesanato, temperos, vidro, plumas, pedras preciosas etc. 
Costumavam parar nos oásis para obter água, sombra e descansar. Utilizavam o camelo como principal meio de transporte, graças a resistência deste animal e de sua adaptação ao meio desértico.
Durante as viagens, os bérberes levavam e traziam informações e aspectos culturais. Logo, eles foram de extrema importância para a troca cultural que ocorreu no norte do continente.
Os bantos
Este povo habitava o noroeste do continente, onde atualmente são os países Nigéria, Mali, Mauritânia e Camarões. Ao contrário dos bérberes, os bantos eram agricultores. Viviam também da caça e da pesca.
Conheciam a metalurgia, fato que deu grande vantagem a este povo na conquista de povos vizinhos. Chegaram a formar um grande reino ( reino do Congo ) que dominava grande parte do noroeste do continente. 
Viviam em aldeias que era comandada por um chefe. O rei banto, também conhecido como manicongo, cobrava impostos em forma de mercadorias e alimentos de todas as tribos que formavam seu reino.
O manicongo gastava parte do que arrecadava com os impostos para manter um exército particular, que garantia sua proteção, e funcionários reais. Os habitantes do reino acreditavam que o maniconco possuía poderes sagrados e que influenciava nas colheitas, guerras e saúde do povo.
Os soninkés e o Império de Gana
Os soninkés habitavam a região ao sul do deserto do Saara. Este povo estava organizado em tribos que constituíam um grande império. Este império era comandado por reis conhecidos como caia-maga.
Viviam da criação de animais, da agricultura e da pesca. Habitavam uma região com grandes reservas de ouro. Extraíam o ouro para trocar por outros produtos com os povos do deserto (bérberes).  A região de Gana, tornou-se com o tempo, uma área de intenso comércio.
Os habitantes do império deviam pagar impostos para a nobreza, que era formada pelo caia-maga, seus parentes e amigos. Um exército poderoso fazia a proteção das terras e do comércio que era praticado na região. Além de pagar impostos, as aldeias deviam contribuir com soldados e lavradores, que trabalhavam nas terras da nobreza.



sexta-feira, 26 de outubro de 2012

MAIS EDUCAÇÃO


Mais Educação
O Programa Mais Educação, criado pela Portaria Interministerial nº 17/2007, aumenta a oferta educativa nas escolas públicas por meio de atividades optativas que foram agrupadas em macrocampos como acompanhamento pedagógico, meio ambiente, esporte e lazer, direitos humanos, cultura e artes, cultura digital, prevenção e promoção da saúde, educomunicação, educação científica e educação econômica.

A iniciativa é coordenada pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (SECAD/MEC), em parceria com a Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC) e com as Secretarias Estaduais e Municipais de Educação. Sua operacionalização é feita por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O programa visa fomentar atividades para melhorar o ambiente escolar, tendo como base estudos desenvolvidos pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), utilizando os resultados da Prova Brasil de 2005. Nesses estudos destacou-se o uso do “Índice de Efeito Escola – IEE”, indicador do impacto que a escola pode ter na vida e no aprendizado do estudante, cruzando-se informações socioeconômicas do município no qual a escola está localizada. Por esse motivo a área de atuação do programa foi demarcada inicialmente para atender, em caráter prioritário, as escolas que apresentam baixo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), situadas em capitais e regiões metropolitanas.

As atividades tiveram início em 2008, com a participação de 1.380 escolas, em 55 municípios, nos 27 estados para beneficiar 386 mil estudantes. Em 2009, houve a ampliação para 5 mil escolas, 126 municípios, de todos os estados e no Distrito Federal com o atendimento previsto a 1,5 milhão de estudantes, inscritos pelas redes de ensino, por meio de formulário eletrônico de captação de dados gerados pelo Sistema Integrado de Planejamento, Orçamento e Finanças do Ministério da Educação (SIMEC).  Em 2010, a meta é atender a 10 mil escolas nas capitais, regiões metropolitanas - definidas pelo IBGE - e cidades com mais de 163 mil  habitantes, para beneficiar três milhões de estudantes.

Para o desenvolvimento de cada atividade, o governo federal repassa recursos para ressarcimento de monitores, materiais de consumo e de apoio segundo as atividades. As escolas beneficiárias também recebem conjuntos de instrumentos musicais e rádio escolar, dentre outros; e referência de valores para equipamentos e materiais que podem ser adquiridos pela própria escola com os recursos repassados.








Vídeo Direito de Aprender - Educação Integral e Comunitária


Contato

Programa Mais Educação
Coordenação de Ações Educacionais Complementares (CGAEC)
Diretoria de Educação Integral, Direitos Humanos e Cidadania (DEIDHuC)
Esplanada dos Ministérios Bloco L - Anexo I Sala 416 CEP 70047-900 
Brasília - DF
Tel.: (61) 2022-9181/2022-9211/2022-9212/2022-9174

FONTE:  www.mec.gov.br

domingo, 30 de setembro de 2012

MINHA MÚSICA PREDILETA



Eu Quero Ser Feliz Agora Oswaldo Montenegro

Se alguém disser pra você não cantar
Deixar seu sonho ali pro um outra hora
Que a segurança exige medo
Que quem tem medo Deus adora

Se alguém disser pra você não dançar
Que nessa festa você tá de fora
Que você volte pro rebanho.
Não acredite, grite, sem demora...

Eu quero ser feliz Agora (2x)

Se alguém vier com papo perigoso de dizer que é preciso paciência pra viver.
Que andando ali quieto
Comportado, limitado
Só coitado, você não vai se perder
Que manso imitando uma boiada, você vai boca fechada pro curral sem merecer
Que Deus só manda ajuda a quem se ferre, e quando o guarda-chuva emperra certamente vai chover.
Se joga na primeira ousadia, que tá pra nascer o dia do futuro que te adora.
E bota o microfone na lapela, olha pra vida e diz pra ela...

Eu quero ser feliz agora (2x)

Se alguém disser pra você não cantar
Deixar seu sonho ali pro um outra hora
Que a segurança exige medo
E que quem tem medo deus adora

Se alguém disser pra você não dançar
Que nessa festa você tá de fora, que volte pro rebanho.

Não acredite, grite, sem demora...

Eu quero ser feliz Agora

Fonte:http://www.vagalume.com.br/